Uma imagem entre dois tempos

quinta-feira 30/07/2020

A fotografia mostra-nos um moderno notebook sobre uma antiga máquina de costura. Um pequeno arranjo floral acompanha a composição. Dois elementos que qualquer um de nós poderia associar a tempos, épocas e utilizações completamente diferentes. Tecnologia, telecomunicações, Internet e espaço digital de um lado. Arte, confecção, dedicação e esforço, do outro.


Atualmente muitos usam um computador para seu trabalho. É difícil imaginar um horário de trabalho sem ele. No entanto, durante grande parte do século passado este artefato simplesmente não existia. Por seu lado, máquinas de costura muitas vezes eram uma fonte importante de renda para uma família.

Estes objetos, que fazem parte dos nossos dias tanto passados como presentes e futuros, encontraram seu ponto de contato neste tempo tão particular que estamos atravessando. Mas também eles têm uma característica especial, fazem parte da história da nossa Igreja regional.

Sabemos que atualmente podemos vivenciar os serviços divinos de palavra pela internet, através dos nossos computadores ou telefones celulares. Estamos muito gratos por isso. Além disso, notícias das diferentes igrejas ao redor do mundo nos chegam através da web e redes sociais. Mas então qual é o rol que tem a máquina de costura nessa imagem? Só serve para apoiar a PC? Sua presença nos conecta a outro âmbito. Sem dúvida é um ícone do desenvolvimento das primeiras congregações que existiram na América do Sul.

Aqueles imigrantes que tinham que deixar sua terra para procurar uma vida melhor, trouxeram tudo o que puderam dos seus países de origem. Entre essas coisas, sua língua, cultura e o mais valioso: a fé. Os recursos econômicos talvez pudessem escassear, mas o que nunca faltaria era a saudade de viver e demonstrar aquilo que eles levavam no coração. Foi assim que o desejo de poder compartilhar a palavra fez com que, por causa da ausência de congregações, os lares fossem os lugares escolhidos para reuniões e serviços divinos.

As máquinas de costura, com as quais as irmãs trabalhavam dia e noite, ou as humildes mesas onde se compartilhavam os alimentos, eram pequenos altares onde o Pai celestial mais uma vez estava presente. Oração, palavra, coro, sacramento, tudo em uma pequena sala de família.

Assim foram os inícios, por exemplo, da congregação de Boca (Buenos Aires, Argentina). Ela nasceu em um dos quartos da família Milillo. Esta parte da casa era ajeitada para receber os irmãos e uma antiga máquina de costura era o altar. “Tenho uma mesa feita pelo meu pai, que durante muitos anos serviu de altar, quando eu morava em Guaratinguetá (São Paulo) e eram feitos serviços divinos uma vez por mês em nossa casa”, lembra uma irmã. Como este caso, há muitos dentro da nossa Igreja e não é preciso ir muito para trás para encontrá-los.

Naqueles anos, com as máquinas de costura também se oferendava muito tempo e conhecimento em belos trabalhos de amor ao próximo e à congregação. Os chamados "corpos de costura" eram grupos de irmãs que se ocupavam de confeccionar e ajeitar roupas para venda posterior ou para entregar a famílias com necessidades. O arrecadado era uma oferenda para a Igreja.

Aos poucos foram se formando as congregações e igrejas. Cada uma com seu altar, tal como as conhecemos. No entanto, hoje a vida faz com que momentaneamente cada lar volte a ser uma pequena congregação, lá vivemos o Serviço Divino do início ao fim e continuamos a preparar a nossa alma para o dia mais esperado, o retorno de nosso Senhor Jesus Cristo.

Fonte: Livro “Pioneros en la Argentina”.

Congregação de Boca: inaugurada em dia 13 de junho de 1943, pelo Apóstolo Gantner.

GALERIA
MAIS NOTÍCIAS

Resumo Serviço Divino de Palavra - Deus nos ajuda na tentação.

segunda-feira 28/09/2020

O abraço da alma

quarta-feira 23/09/2020

Resumo Serviço Divino de Palavra - Perguntar pela vontade de Deus

quarta-feira 23/09/2020

Palavra pastoral semanal

quarta-feira 23/09/2020

Paz

segunda-feira 21/09/2020

Um diálogo único (final)

quinta-feira 17/09/2020
VER TUDO